© Todos os direitos reservados
     Criado por:

WERKSTATT STUDIODESIGN

EDUCADORPONTOCOM Capacitação e Desenvolvimento é pessoa jurídica, registrada no CNPJ sob o nº 27.900.272/0001-02
Rio Grande do Sul - Brasil

CULTURA E CONHECIMENTO

June 29, 2017

 

Temos uma inspiração muito forte da cultura greco-romana.

Segundo os gregos, "se o indivíduo é dotado de razão, só é possível produzir uma pergunta racional, se tiver sentido para o perguntador e para o perguntado". 

Para os gregos, o sentido da felicidade é ser feliz, tornando-se completo e pleno, bom e belo. Para os gregos, o conjunto de procedimentos para alcançar o estágio pleno da consciência (PAIDEIA) passa pela formação do corpo, formação intelectual e formação espiritual.

A razão é limitada. Os gregos usam o templo como aglutinador de sentimentos do que é necessário ter em outra esfera, que substitua a limitação da razão.

Já para os judeus/cristãos, Deus é ONI (presente, potente e consciente). O conceito judeu é oposto ao greco-romano.

Santo Agostinho e Tomás de Aquino seguem os padrões dos pensadores gregos Platão e Aristóteles, mas tem um ingrediente a mais: a fé.

Segundo Santo Agostinho, "não posso pensar sem razão e sem fé." Segundo Tomás de Aquino, "posso pensar sem razão mesmo sem fé, pois posso passar a ter fé."

É neste contexto que a escola está inserida e precisas encontrar o seu espaço, como escola que transforma e que não só preenche vazios, mas, principalmente, cria vazios.

A escola em geral tende a ser um espaço de transmissão de informações (e isso não é conhecimento), quando deveria ser um espaço de transmissão de conhecimento.

 

Uma escola PREENCHE vazios, é aquele que:

1) ensina

2) transmite informações

3) avalia

4) prepara para o "mercado"

 

Uma escola CRIA vazios, é aquela que:

1) educa

2) os sujeitos são responsáveis pelo processo de humanização

3) traz soluções novas para a comunidade

4) não serve para o "mercado", mas é reconhecida por sua produção

 

A escola precisa deixar de "transmitir informações" e passar a "transmitir conhecimento". Para isso, precisa proporcionar a capacidade para fazer perguntas. O educando precisa saber perguntar, precisa arriscar-se. Arriscar-se a errar, arriscar-se a empreender um projeto, arriscar-se a assumir um desafio. A escola que "transmite conhecimento" é aquela que universaliza a educação, é aquela que aposta no projeto.

 

Prof. Uwe Roberto Strauss

e-mail: urstrauss@educadorpontocom.com.br

homepage: www.educadorpontocom.com.br

<