© Todos os direitos reservados
     Criado por:

WERKSTATT STUDIODESIGN

EDUCADORPONTOCOM Capacitação e Desenvolvimento é pessoa jurídica, registrada no CNPJ sob o nº 27.900.272/0001-02
Rio Grande do Sul - Brasil

O QUE É PRECISO SABER PARA ESCOLHER UMA ESCOLA?

January 5, 2016

É tempo de matricular ou rematricular os filhos na escola.

Es é uma época que causa uma certa angústia aos pais que precisam decidir o rumo para os seus filhos. Manter os filhos na escola? Trocar de escolar? Ou, quando é a primeira vez que os filhos vão para a escola, a angústia é maior ainda... Que escola escolher? Qual a mehor escola para os meus filhos?

Um dos primeiros aspectos a ser avaliado pelos pais, normalmente é o grupo que a criança forma na escola e que serve como suporte para os novos desafios, inclusive os da aprendizagem. Manter-se entre os amigos e colegas fortalece o convívio e a segurança dos alunos.

Um outro aspecto a ser avaliado é a linha pedagógica da escola a ser escolhida. É preciso que a escola tenha uma proposta pedagógica concreta e definida. E esta proposta precisa estar clara para a escola. O modismo não é o melhor caminho. É preciso que a proposta pedagógica da escola seja percebida no dia a dia da escola.

Também é preciso avaliar como a escola lida com as dificuldades do d dia a dia, entre elas as dificuldades de aprendizagem. Há um acompanhamento do aluno em dificuldades? Como acontece este acompanhamento? O olhar para o aluno em dificuldades é real? Ou apenas são criados "paliativos" com a finalidade de proporcionar uma simples promoção do aluno, sem atacar a causa das dificuldades?

É preciso, também, considerar que mesmo uma reprovação é uma aprendizado. Neste caso, muitas vezes a família opta pela troca de escola, sob a alegação de que a troca evitará o constrangimento entre os colegas. Em algumas situações, a troca pode ser uma alternativa mas, em geral, este não é, necessariamente, um bom motivo para a troca de instituição. É o momento de avaliar como o filho o significado da perda e do fracasso e prepará-lo para enfrentar adversidades. Por outro lado, a reprovação torna-se um obstáculo a ser superado e é importante não caracterizar com a atitude de troca de escola que não há problema em fugir dos obstáculos.

Também é importante avaliar como foi a dedicação e o desempenho nos estudos. É comum, no segundo semestre, o aluno se defrontar com a "Setembrite", síndrome pela qual passam os alunos, principalmente os vestibulandos, que percebem que o tempo está passando e que o "vou deixar para estudar depois" está com os dias contados.

O que fazer? Para aqueles que estão acostumados em preparar-se apenas com o mínimo de estudo, não adianta se desesperar. Atitudes do tipo estudar 18 horas por dia ou madrugada adentro não resolvem, a não ser contribuir para conseguir uma bela estafa e um resultado ruim. O importante é confiar no que estudou e dirigir esforços para o que teve mais dificuldades. Sempre vale a pena tirar dúvidas com o profesor ou colega.

Também nesses casos, é importante avaliar como a escola acompanha o aluno em dificuldades. Mas é preciso conscientizar-se de que a escola não vai acompanhar o aluno a qualquer custo. O aluno também precisa demonstrar interesse pela ajuda.

Uma outra questão que precisa ser avaliada na hora da decisão é como a escola trata da segurança de seus alunos. Há circulação de pessoas estranhas no ambiente da escola? Qual o controle que a escola tem sobre a circulação de pessoas? Como é o controle da escola na entrada e saída dos alunos? No final da aula, qual o controle da escola sobre a saída dos alunos?

Por fim, sem ser o último aspecto a ser considerado, é importante avaliar como a escola se relaciona com os seus públicos. Há abertura para o diálogo? A escola empenha-se para buscar soluções? As soluções são concretas e plausíveis? Ou são apenas aquelas que agradam a maioria? Enfim, há disponibilidade para que se busquem soluções, por intermédio do diálogo franco e aberto?

Um resumo/roteiro para a avaliação da escola pode ser encontrada nos QUATRO "P´s" da escola:

 

PORTÃO: Como é o acesso/saída e a segurança da escola?
 
PÁTIO: Como se dá o relacionamento e a integração dos alunos? Os intervalos são turbulentos ou acompanhados por professores/responsáveis? Ocorrem muitos acidentes?
 
PROFESSORES: A proposta pedagógica da escola é clara? Ela é percebida e vivenciada no dia a dia da escola?
 
PAIS: Como se dá o relacionamento com os pais? Há diálogo? As soluções são buscadas? A busca de soluções é discutida em conjunto com o