© Todos os direitos reservados
     Criado por:

WERKSTATT STUDIODESIGN

EDUCADORPONTOCOM Capacitação e Desenvolvimento é pessoa jurídica, registrada no CNPJ sob o nº 27.900.272/0001-02
Rio Grande do Sul - Brasil

CONSIDERAÇÕES SOBRE AVALIAÇÃO

April 27, 2015

Avaliação é um tema recorrente e foco de inúmeras discussões. É um tema complexo e merece dedicação no seu estudo.

Pessoalmente, tenho algumas considerações a serem feitas sobre o tema, fruto de algum tempo de atuação em educação.

Há três aspectos que se inserem na avaliação da aprendizagem. Assim, ao se falar em avaliação da aprendizagem, devemos considerar os aspectos da avaliação cognitiva, das atitudes e das habilidades.

Quando falamos em avaliação cognitiva, estamos nos referindo ao conhecimento expresso pelo aluno, a partir da aquisição de habilidades e competências. Assim, precisamos planejar o processo de ensino-aprendizagem de tal forma que saibamos quais habilidades o aluno deve desenvolver para adquirir determinadas competências, expressando, assim, o seu conhecimento, que será avaliado.

Quando falamos em avaliação das habilidades, estamos nos referindo à capacidade em executar determinadas tarefas e atividades. A avaliação de habilidades mais específicas pode ter uma necessidade maior em componentes curriculares que exigem uma habilidade específica, tais como música, artes, educação física, etc. Especialmente porque nestes componentes curriculares, o desenvolvimento de determinadas habilidades é algo muito subjetivo e inerente à individualidade de cada um.

Por fim, a avaliação das atitudes refere-se à avaliação das relações sociais, pessoais, interpessoais e transpessoais do aluno. Embora o aspecto comportamental e atitudinal do aluno tenha uma relação intrínseca com o aspecto cognitivo, isto não é regra geral. Ou seja, não podemos afirmar que um aluno com rigorosos padrões de comportamento seja necessariamente um aluno com alta capacidade cognitiva. Ao contrário, também não é regra que um aluno com dificuldades de relacionamento e comportamento seja necessariamente um aluno com dificuldades cognitivas.

Portanto, de todos os aspectos, talvez a avaliação das atitudes seja aquela que pode ter um olhar próprio. Assim, não se misturam a avaliação das atitudes com a avaliação cognitiva. Ou seja, não se “dá pontos” para o aluno comportado e se “tira pontos” do aluno com dificuldades no seu comportamento. A abordagem nestes casos é outra.

Que instrumentos de avaliação utilizamos para aferir o desempenho do aluno? São instrumentos de avaliação trabalhos realizados, arguições, exercícios, pesquisas, verificações e outras atividades do processo ensino-aprendizagem. Estes instrumentos de avaliação permitem especialmente diagnosticar e aferir o nível de conhecimento do aluno, durante o processo ensino-aprendizagem.

Não se concebe mais que atualmente possamos utilizar um sistema de avaliação com modelo bancário, onde creditam-se ou debitam-se pontos, dependendo do desempenho do aluno. Avaliar é muito mais do que "atribuir" ou "descontar" pontos.